Foi amigo e companheiro de armas de D. Nuno Álvares Pereira. Com o Condestável distinguiu-se na defesa do território contra a invasão castelhana aquando da crise de
1383-85. Inclusivamente, terá sido armado cavaleiro na época da batalha de Aljubarrota e fez parte do Conselho de Guerra de D. Nuno Álvares Pereira. Devido aos bons
serviços prestados, D. Nuno Álvares Pereira doa-lhe, por volta de 1393, os direitos da vila de Almada e a Quinta de Cheira-Ventos, na Amora. D. João I também o
recompensa: nomeia-o vedor da Fazenda e regedor da Casa Cível, cargos confirmados pelo D. Duarte, que ainda o designa como membro do Conselho do Rei. Pedro
Eanes Lobato morreu em 1442, sendo sepultado na Igreja de S. Mamede, em Lisboa, na Capela do Espírito Santo, tendo o seu túmulo desaparecido com os
desmoronamentos e incêndios, que ocorreram durante o terramoto de 1755. Pedro Eanes Lobato, embora vivesse em Lisboa, passava grandes temporadas na sua
propriedade de Amora e foi esta Quinta que esteve na origem de um pequeno núcleo populacional, que se veio a chamar Amora Velha. A partir deste local promoveu o
desenvolvimento da região, não só pelos importantes cargos, que desempenhou como pelos benefícios que concedeu à Terra e às suas Gentes.
Pedro Eanes Lobato
Patrono
Início > Agrupamento > Patrono
A G R U P A M E N T O   D E   E S C O L A S
PEDRO EANES LOBATO

AMORA


Copyright © 2014 by Agrupamento de Escolas Pedro Eanes Lobato  ·  Todos os direitos reservados  ·  E-Mail: pedroeaneslobato@gmail.com






Hino AEPEL c/voz
Hino AEPEL s/voz